quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

The last chance 2015... sem boas perspectivas!


         Andei trabalhando demais... e as folgas, quando tinha, não superavam um dia. Precisaria de dois dias de folga para pescar... é muita tralha pra levar, depois quando volta é preciso organizar tudo. Então dois dias é o mínimo! O ano de 2015 passou voando... não pesquei nesta temporada. Não deu... lamentei muitas vezes. A primeira quando foram relatadas capturas de corvinas em novembro, a segunda foi umas duas semanas atrás quando foram reveladas capturas de burriquetes de 8-12 kg. Aliás, estes burriquetes parecem pertencer ainda aquela geração de peixes das histórias de captura por todo litoral gaúcho. Ouvi relatos de capturas também em Santa Catarina e no Uruguai, mas no país vizinho tais peixes saíram todos os anos na última década. Aqui que se apresentou um fato diferente, pois burriquetes pequenos estavam inexistentes há décadas. Se ouvia falar disto antes de 90, talvez 70 e 80's. Em algum momento a pressão de pesca piscou os olhos e grandes cardumes de corvinas e burriquetes conseguiram escapar das garras da industria pesqueira. Até lendas se formaram... mas isto é conversa para outra postagem. 
Na semana passada foram relatadas capturas de muitas violas e arraias morcego por aqui no RS. Infelizmente, o peixe protegido é o que esta na área. Então só tem uma alternativa. Vc vai, pesca e se for viola vc devolve para o mar. A diversão vc guarda, se for corvina ou burriquete leva para casa, mas se for viola... devolve ao Atlântico. Algumas pessoas dizem que a população de violas cresceu, outras se surpreendem com tais afirmativas. A verdade é que desde 2003 nunca mais vi sair viola como antes. Foi um tempo de achar o cardume, largar a linha e 5 minutos estava batido... algumas vezes não se chegava de volta a praia e o caniço já tinha peixe. Coisas do passado...
Se 2015 não foi um bom ano, acho que 2016 pode ser. Tenho visto algum ano "ilhado" em meio a anos ruins. Estava com apostas para 2015, mas não foi... acho que será 2016. teremos de esperar até outubro pra saber, mas até lá precisamos pescar um pouco. E pra não dizer que não pesquei nesta temporada, estou indo agora na próxima semana. Vou tentar burriquetes, talvez as cascudas em janeiro... como diz um velho conhecido pescador, janeiro é o mês das cascudas, se referindo as corvinas fora de estrada. De acordo com este velho pescador profissional da costa gaúcha, as corvinas se apresentam encardumadas em outubro ou novembro, são exemplares com 2-5kg. Depois, mais tarde, as cascudas aparecem em menor número, as vezes solitárias... são corvinas com 6, 7, 8 kg, com relatos de 10-13kg. Dois anos atrás, vi uma corvina assim... tinha aproximadamente 1 metro de comprimento, era uma corvina com estimados 10 kg. Estou atrás deste peixe... quero fotografar esta cascuda até para provar que ela existe. Que existe, sim, existe... como as bruxas, mas o difícil é provar! Espero que este ano consiga... pois há dois anos que tento especificamente uma grande corvina. A maior que pesquei até hoje tinha em torno de 7 kg (6,8 kg)... e ao meu ver já era uma corvina monstro. Minha prioridade são os peixes de escama nesta temporada... de arremesso, pois não pesco de prancha mais. A última chance de 2015 é na semana entre natal e ano novo... espero, na próxima semana, ter boas notícias. 
Um feliz natal e ano novo... de realizações, inclusive, pesqueiras!